Mulheres na ciência

A participação feminina contribui com a diversidade na produção e democratização dos conhecimentos científicos. Por isso, o debate sobre equilíbrio dos gêneros na área da pesquisa, no Brasil e no mundo, vem se fortalecendo na tentativa de incentivar a entrada e permanência de mulheres no universo científico. De acordo com a Unesco, mundialmente as mulheres representam menos de 30% dos pesquisadores. Mesmo que no Brasil exista uma maior paridade no número total de pesquisadores (49% de mulheres pesquisadoras em nosso país), as mulheres tem menor visibilidade e são minoria em cargos de decisão e dentre os bolsistas de produtividade em pesquisa. Assim, as ações afirmativas sobre a representatividade de mulheres na ciência são essenciais para ampla transparência na construção de projetos científicos e para a excelência acadêmica das pesquisas.  

A temática das Mulheres na Ciência é parte do cronograma do SITPS-2019 e será abordada pela Profa. Dra. Pâmela Billig Mello Carpes (UNIPAMPA, Brasil). A Profa. Pâmela é mãe de um filho de 14 anos e atuante na causa das mulheres na ciência. No âmbito acadêmico, é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq, atuante na área da Neurociência, senior fellow da UNESCO (2018), ganhadora do Prêmio Para Mulheres na Ciência L’Oreal/UNESCO/Academia Brasileira de Ciências (2017) e finalista do Prêmio Donna/ZH Mulheres que Inspiram (2019).  

Créditos da imagem: https://www.globalcitizen.org/en/content/beyond-curie-stem-project-women-science/

Leave a Comment